Samstag, September 11, 2004

Fado

(...)já que a má sorte assim quis
A tua sina te diz
Que até morrer
Serás infeliz! (...)




Mornas lágrimas rolam-me pela face ao ouvir este fado.
Toca-me o ser como guitarras gemendo, acompanhando o lamento.



Kommentare:

ColarDeEstrelas hat gesagt…

a música, companhia antiga de tantos pensares...

refúgio, abrigo de um mar que devasta...
mar, de onde chegou o fado, voz da nossa canção...

voz de marinheiros, e mulheres de má vida...ébrio, marginal, coisas do povo...coisas de nós.

com meu xaile bordado de amor, te abraço, querendo, por Deus, afastar as sombras desse olhar sofrido.

e canto assim...

" no teu poema, existe a dor calada lá no fundo,
o passo da coragem em casa escura...
e aberta uma janela para o mundo
(...)

No teu poema existe um canto chão alentejano,
a rua e o pregão de uma varina,
e um barco a soprar a todo o pano...
(...)

No teu poema, existe a esperança acesa atrás do muro,
existe tudo o mais que ainda me escapa,
e um verso em branco, à espera do futuro..."


baixinho...

~*~

sonhadora hat gesagt…

No meu cantar existe o teu sorriso constante
E teu xaile bordando as minhas mágoas...

Existe a certeza de saber-te de braços abertos
e um colo pronto ao aconchego.

Existe o sabor da tua amizade que me acarinha em cada palavra.


Obrigada por estares sempre presente em meus dias, mesmo que eles sejam cinzentos.*

Abraço meigo sempre

Que Deus te proteja e abençoe

...*...

Anonym hat gesagt…

´´´´
noite