Donnerstag, Dezember 09, 2004

Dialogo com um 'Anjo'




Lembras aquela noite que 'entrei' na tua varanda?! Há uns anos atrás ...

Levava as palavras nos lábios e o carinho no olhar!
Naquela varanda, pertinho do mar, cheirava a serena maresia;
perfumava tranquilidade e as mais variadas essências de plantas espalhadas pelos cantos; jasmim, rosmaninho, menta, hummmm ...que perfume!
Nada ali faltava.Estava a rede onde te 'perdias em viagens'; cigarro esquecido entre os dedos e o olhar mais além ...
Ah!! ... e a noite, lembras a noite!!
Um manto azul intenso, bordado de milhares de pontinhos brilhantes ...

Lembras!?

Quantas vezes precisei falar-te!! ...e mais que isso, precisei escutar-te.
Naquela noite, assim como as que se seguiram, houve apenas o silêncio das respostas ...e eu, na necessidade de as ouvir ...inventei-as, sussurradas ao ouvido.
Mas sabes!?
Era pouco, sabiam a nada ...

Como a pouco sabiam as conversas na janelinha, tornaram-se insuficientes!
As palavras eram escassas, o vocabulário vago, careciam de sentido.
Doia no peito a impotência de não saber chegar-te o meu sentir, como sou, como penso ...e muitas vezes as lágrimas silenciosas deste lado queimavam a pele, pela falta de ler o olhar.

Faltam-me os gestos, as palavras faladas, sentidas, ouvidas ..falta-me o abraço ...e o deixar-te entrar no olhar, para entenderes, para enfim saberes o que as palavras não dizem.

E os morangos ...sim, faltam-me os morangos tb.Ao longo destes anos, o fruto 'oferecido'. (sorrio)

Quantas vezes com orgulho falei de ti ...enchia a boca, iluminava-se o olhar, e um sorriso desenhava os lábios.
O meu 'Anjo' Amigo ... Homem de saber imenso, com uma meiguice sempre na ponta dos dedos.

O 'Anjo' que me brindava as palavras mais lindas, com paciência infinita derrubou barreiras, desconfianças eportas .. conquistando-me a alma inteira.
Tantas noites 'lutando' com os meus fantasmas até fazer-me sentir menina tantas vezes, mulher outras tantas e ... conseguir todo o afecto de que sou capaz.


Saraste-me feridas.
Secaste-me lágrimas.
Acarinhaste meus sonhos ...
E fizeste-me sentir, uma, outra e cada vez ... especial, querida e amada.

Partilhámos momentos bonitos, intensos, profundos ...
Estiveste 'presente' sempre que precisei dum ombro.E eu sabia, sentia que ali estarias.Palavra amiga, tranquilizadora ...serenando minha alma.
Foram muitos os silêncios falados, e muitas horas de companhia ...

Nos meus silêncios, isolados ..aqueles em que fujo de todos e tudo,eras tu o unico a quem me confiava, aquem deixava entrar no meu mundo ...
Mas não este ultimo ...este foi diferente, frio, medonho e intenso ...mudei.
Amadureci.

Um madurar à força bruta.
Doeu, sabes ...
Magoou imenso ..o não estares aí. Feriu, fere a ausência;
e o não me saberes nem sentires como eu pensava.


(...)
"Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles."


...*...








Kommentare:

Anonym hat gesagt…

Demasiada verborreia para os meus sentidos.
Erro, erros, erradamente errante.
.:.&.:.

Cacau hat gesagt…

Adorei o teu texto! Parabens :)

Anonym hat gesagt…

No matter how far or how long,
My love will still be yours.
I will always love you.
For you - I am here,
Whether in Spirit, mind, body.
Shall you ever shed a tear,
Your angel will always be near.

[...*...]

.:.

Anonym hat gesagt…

I am a man who walks alone
And when I'm walking a dark road
At night or strolling through the park

When the light begins to change
I sometimes feel a little strange
A little anxious when it's dark

Fear of the dark, fear of the dark
I have constant fear that something's
always near
Fear of the dark, fear of the dark
I have a phobia that someone's
always there

Have you run your fingers down
the wall
And have you felt your neck skin crawl
When you're searching for the light?
Sometimes when you're scared
to take a look
At the corner of the room
You've sensed that something's
watching you

Have you ever been alone at night
Thought you heard footsteps behind
And turned around and no one's there?
And as you quicken up your pace
You find it hard to look again
Because you're sure there's
someone there

Watching horror films the night before
Debating witches and folklores
The unknown troubles on your mind
Maybe your mind is playing tricks
You sense, and suddenly eyes fix
On dancing shadows from behind

Fear of the dark, fear of the dark
I have constant fear that something's
always near
Fear of the dark, fear of the dark
I have a phobia that someone's
always there

When I'm walking a dark road
I am a man who walks alone

Fear Of The Dark
Steve Harris


.:.